sábado, 5 de maio de 2007

UM HOMEM ILUSTRE DE PENAJÓIA

Pedro Augusto Ferreira nasceu na sua Casa da Capela, no lugar da Corvaceira, freguesia de Penajóia.”Mesmo em frente da estação de Caldas do Moledo”. No dia 14 de Novembro de 1832. Foi baptizado solenemente em Samodães, no dia 25 do mesmo mês.
É filho legítimo de José António Ferreira, familiar do Santo Oficio, e de D. Maria da Purificação Ferreira, abastados proprietários do Douro.
Seu pai era natural da freguesia de Adorigo, concelho de Tabuaço e sua mãe era da povoação do Vacalar, concelho de Armamar.
Seus pais tinham herdado a Casa da Capela, na Corvaceira, de duas senhoras suas primas, D. Inácia Teresa, e D. Ana Luísa Teresa, que viviam com um seu tio, Frei Jorge da Conceição Ferreira, que viera da Ordem dos Agostinhos Descalços.
O Dr. Pedro Augusto Ferreira teve uma infância muito feliz e estudou na Penajóia até aos 9 anos com Frei Venâncio Pinto da Silva, egresso Beneditino do Convento do Pombeiro. Depois da instrução primária, estudou latin com o P. Manuel Pinto coelho egresso Franciscano do Convento da Conceição em Bouças.
Essas aulas teve-as em S. Geão .”por sole por chuva”, sem dar uma única falta.
Em seguida, estudou em Lamego, dos 13 aos 17 anos.
Foi para Coimbra em 1851, onde se matriculou em Teologia e com todos os preparatórios da Faculdade de Direito e mais os exames de Grego e Hebraico. Formou-se em Teologia, por saber que seus pais teriam muito gosto em vê-lo sacerdote.
Desde1857 a1860, foi Vigário geral da Diocese de Lamego, por impedimento do Dr. Diogo de Macedo Pereira. Foi nomeado também professor de Instituições Canónicas, examinador pró-sinodal e História Eclesiástica .
Em 1861, foi apresentado na Abadia de Távora, solar dos Marqueses de Távora e tomou posse 19 de Agosto desse mesmo ano.
Durante toda a sua longa vida, foi homem exemplar, pároco dedicado e justo, que só nas horas vagas estudava e escrevia maravilhosamente.
Foi durante alguns anos Abade de Miragaia e homem que se relacionou com muitos homens da cultura do seu tempo entre eles Alexandre Herculano. Por sua morte deixou à Biblioteca Municipal do Porto, quatro mil volumes que possuía. Por isso o Porto, considera-o seu cidadão Benemérito, dando uma das suas ruas o nome ilustre de Dr. Pedro Augusto Ferreira.
Foi galardoado com a Comenda da Cavaleiro da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, vogal da Comissão do Monumentos Nacionais, Sócio efectivo
Da Associação dos Arquitectos Civis, Sócio da sociedade Camoniana e de Geografia Comercial, Sócio Fundador da Associação Arqueológica da Figueira da Foz.
Foi Continuador apaixonado do Portugal Antigo e Moderno, autor de Tentativa Etimológica e de tantas obras que se guardam como relíquias, para delícia de quem ama o estudo e gosta de História.
O seu corpo Jaz em Agramonte, num jazigo que a Câmara do Porto lhe ofereceu.

Por Mª. Albertina C. F. Matos (Ecos de Penajóia)

0 comentários:

 
© 2007 Template feito por Templates para Você